Atenção!

"(...) apesar de ter mergulhado de cabeça nesse misterioso mundo das lesões neurológicas e suas possíveis consequências, não sou médica. Tudo o que coloco aqui são impressões e experiências pessoais. (...) Enfim, não sou uma profissional da saúde, apenas uma mãe muito, muito, muito esforçada em início de carreira".



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Brincadeira de menino

Não sei se já registrei aqui, mas filhotinho você ama jogar bola. Desde pequenininho é uma de suas brincadeiras favoritas. Junto com livros e revistas.

Agora, me fala: como seria possível você jogar bola se nem sentado sozinho você fica ainda?!

Aaahhhh! Pra isso existem os braços do papai e da mamãe e, mais recentemente, o Pula Sapinho!


video
                                                                     
É isso aí, nosso amigo pula sapinho deixou de ser apenas um jumper, para te transformar em goleiro. Se deixar, você passa o dia todo brincando ali. Chora pra sair, mesmo nitidamente cansado. Esse vídeo acima foi numa tarde de domingo. Mas você fica ali nas mais diversas ocasiões, como no último jantar que demos para amigos e familiares aqui em casa. É bom que com muita gente, a galera se revesa para chutar a bola.

E assim vamos vivendo. Dando um baile nas limitações e fazendo de você um menino mais perto do comum do que podíamos imaginar.

                                                                           xxx

Ps: só pra deixar registrado aqui que venho notando muitos progressos cognitivos. Bem naquele meu estilo ver 10 vezes pra crer, hoje vi bem o quanto você já tem total noção de que a Marina chegou para abalar o mundo dos seus brinquedos e que, se você quiser manter um com você, vai ter que ser no grito. Marina cismou com controles remotos e você cresceu o olho também. Só que ela os pega a hora que quer. Quanta agilidade... Você precisa me mostrar que quer. E se vira pra fazer isso até conseguir. Depois, precisa que eu fique com você, como uma espécie de guardiã do controle, e que te ajude a brincar. E toda vez que ela se aproxima e ameaça querer tirar de você, você abre a boca.

 Testei 50 vezes e ficou mais do que claro que:
- você queria brincar com aquilo.
- muito pelo fato de ver que ela estava brincando antes.
- e que como qualquer irmão e irmã, surgiu uma disputa pelo brinquedo.
- e que na falta de habilidade motora, você usou seus recursos expressivos.

Depois, fui chorar baixinho lágrimas de orgulho por ver meus dois filhos um ao lado do outro, vendo TV. E o controle, já sem graça, esquecido no chão. É muita emoção pra um coração só. Por isso que eu digo: outro filho, ainda mais no nosso caso especial, é total benção divina.


Um comentário:

Seu comentário é muito importante para nós!