Atenção!

"(...) apesar de ter mergulhado de cabeça nesse misterioso mundo das lesões neurológicas e suas possíveis consequências, não sou médica. Tudo o que coloco aqui são impressões e experiências pessoais. (...) Enfim, não sou uma profissional da saúde, apenas uma mãe muito, muito, muito esforçada em início de carreira".



sábado, 19 de novembro de 2011

Entourage, Staff, Background...

Oi filhotinho,

bom, a coisa aqui está cinza. Mas já teve preta. É que essa sua virose dos infernos aí tá dando muito trabalho... Você não melhora, pôxa. Tá bom, até melhora, mas muito pouco. Até hoje de madrugada, por exemplo, mamãe ainda estava bem aflita, pois a febre não vai embora de vez e você continua tendo eventos bem angustiantes de passar mal. Aí, pela manhã, eu falei de novo com o tio Jofre e ele passou mais um remédio. Ainda não é antibiótico, é o Predisin. E parece que você deu uma reagida. Está respirando melhor, conseguiu dormir à tarde e todas as alimentações, ainda que bem leves, desceram sem problemas.

Mas mamãe vai falar agora da importância da ajuda que eu estou tendo nos últimos dias. Aliás, há um tempinho já que eu tenho vontade de escrever sobre o assunto. Até já dei umas comentadas aqui, mas acho que merece um post inteiro.

Bom, não é segredo que eu sempre tive dificuldade de sequer pensar em 'terceiros terceirizados' para cuidar de você. O engraçado é que antes de você nascer falávamos em não ter babá por outras questões como o perigo que cerca a classe com as histórias escabrosas que ouvimos por aí. Sempre dizíamos que preferíamos a opção de te colocar na creche cedo, se fosse o caso.

Mas aí você nasceu e nada do que havíamos planejado exatamente procedeu. É, perereco, você foi o filho planejado mais fora dos planos possível. E isso, claro, nos fez passar por algumas situações complicadas. O cansaço e a falta de tempo que a mamãe precisou aprender a conviver foi uma das coisas que mais pesaram. Tive que reaprender a organizar a minha vida, minhas prioridades e até futilidades, além de perceber que para te dar tudo o que você precisava, eu teria que parar um pouco no tempo e no espaço. Precisei me convencer e ficar bem com o fato de que a minha vida agora seria inteiramente dedicada à você. Isso inclui parar ou diminuir muito o ritmo de trabalho; passar a quase não ver os amigos; sair muito pouco para se divertir sozinha ou com o papai; e esquecer coisas simplórias como academia, fazer a unha, cortar o cabelo no salão...

Olha, tô exagerando um pouco. Na verdade, o que fiz foi me reorganizar mesmo e diminuir o ritmo de maneira geral. Nada que qualquer mãe não tenha que fazer. A diferença é que com você isso ganhou um fim indeterminado. Para a maioria das mães, essa canseira melhora após o primeiro ano. Para nós, a luta está só começando e essa virou mesmo a nossa rotina, sem prazo de validade.

Mas, como eu disse, eu tive que me convencer e ficar bem com isso. Viu, filho? Essa parte é muito importante: eu consegui ficar bem com isso. Não fico por aí me lamentando e nem chorando por tudo o que deixei pra trás, digamos assim. Eu me apaixonei perdidamente por você e abracei a causa como missão mesmo, mais importante do que qualquer coisa que já me aconteceu antes. Então, não se preocupe, porque não sou nenhuma frustrada e infeliz. Cansada sim, não posso negar. Mas sempre que lembro que é por você, é só dar uma dormida que melhora.

Mas, então, acontece que nas últimas semanas isso tem mudado um pouco. Não que eu ache que a minha responsabilidade por você e por toda a sua reabilitação tenha diminuido, mas tenho tido mais momentos de descanso. E isso está sendo muito bom. Pra mim; pra você; pra sua avó, que também tem ganho umas folgas; pro seu pai, que está menos preocupado comigo... pra todo mundo.

E o mais legal é que mais uma vez as coisas aconteceram na nossa vida no momento certo. Cada vez mais estava ficando difícil levar tudo com a barriga da Marina crescendo. Sei lá, mas é como se as coisas não acontecessem mesmo por acaso, sabe? Como se houvesse de fato um plano traçado pra nós em algum lugar que a gente desconhece. E isso me faz sentir uma paz, uma certeza de que vai mesmo tudo dar certo... Sempre. Como se, ok sou eu que realizo as ações, que tomo decisões, mas parece que guiada, sei lá.

Não lembro muito bem porque tive essa 'ideia' de contratar uma enfermeira pra me ajudar na primeira semana pós-cirurgia e nem que luz que me deu para lembrar de pedir indicação para a tia Valéria. Sei que a coisa foi seguindo seu curso, conhecemos a Janete e a Carmen, elas foram ficando e, agora, está acertado que elas não vão mais embora. A ideia é passarmos para 3 vezes por semana, depois que você colocar o botton e no fim de Janeiro, depois que a Marina nascer, elas voltam a vir todo dia. E você não imagina a tranquilidade que isso está me dando, Antonio. Como saber que terei ajuda, conhecida e já no esquema, tem me acalmado para a chegada de mais um bebê aqui em casa. Não parece que já estava tudo programado?

Enfim, não sei como seria se algum dia eu precisasse contratar uma babá. Mas o que sei é que nada poderia ter sido melhor do que como as coisas aconteceram. Me conheço. Era preciso que acontecesse assim, meio fora do padrão, para que eu visse e acreditasse que era possível sim conseguir te confiar a 'estranhas'. Estranhas treinadas, mas ainda estranhas. Que, hoje, já são quase de casa, diga-se.

E assim estamos mais descansados, mais calmos, mais seguros e mamãe pode ir ao dentista, pegar mais uns trabalhos para fazer em casa, dormir à tarde, escrever mais no blog, dar caminhadas, fazer a unha, fazer drenagem!

Por isso, tenho muito o que agradecer a esse povo doido que nos acompanha todos os dias. É uma digna comitiva de respeito. Sim, porque não podemos esquecer da Miriam, que tem sido nossa fiel escudeira há mais tempo. Só que a Miriam quebrava galhos, a Carmen e a Janete, ficam mesmo só por sua conta. Mas o bom é que todo mundo se deu bem, estão todas no esquema e a casa tem sido uma alegria só. Claro que você com esse seu carisma nato já conquistou totalmente as tias 'novas' e elas agora até ligam quando não estão aqui pra saber de você. Te adotaram completamente.

Valeu, pessoal! A família agradece.

Chamego com a Miriam:


puxando o cabelo dela


Indo passear com a tia Carmen



Dormindo no colinho...


















Brincando com a tia Janete













As doidas te colocando com cabelo de Neimar, depois do banho











E o melhor de todos: um video em que vocês estão brincando de pegar... Você se diverte, filho.
video

2 comentários:

  1. Que maravilha!!! Adorei o video. E a alegria que ele ficou! Dá pra ver bem como se divertiu mesmo, pra valer. Quanto a essa virose totalmente fora de hora, vamos rezar pra acabar logo e deixar o meu lindão livre desse incômodo. Beijão pra td mundo.

    ResponderExcluir
  2. Que saudade dessas tias...gostoso de ver.
    Beijos !
    Valéria

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós!