Atenção!

"(...) apesar de ter mergulhado de cabeça nesse misterioso mundo das lesões neurológicas e suas possíveis consequências, não sou médica. Tudo o que coloco aqui são impressões e experiências pessoais. (...) Enfim, não sou uma profissional da saúde, apenas uma mãe muito, muito, muito esforçada em início de carreira".



sábado, 21 de abril de 2012

Terapia Casada

Oi perereco! Estamos exaustos... Muita caixa, muito trabalho, muita correria. Mas está quase tudo pronto para partirmos para a nossa nova morada. Mas enquanto não vamos, deixa a mamãe falar um pouco sobre a nossa combinação atual de exercícios que está sendo a melhor de todos os tempos!

Me refiro ao medek com as técnicas de therasuit que a tia Suzane vem usando nas sessões dela com você. Nossa, como está funcionando bem, filhote! Tia Suzane não cansa de dizer que a cada nova sessão você está se comportando melhor ainda, se entendendo mais e mais com os elásticos e com seu próprio corpo.

E é fato. Não é algo de mãe, nem de terapeuta babona. Qualquer um pode atestar que a cada nova vez que você veste aquela roupa amarela e se pendura em cordas ou elásticos, a coisa rapidamente acontece. E com o passar dos minutos, às vezes até segundos, você se acha ali e se diverte.

Essa é a palavra. Muito mais do que um exercício, um treino, o therasuit tem sido uma diversão sem tamanho pra você. Você ama ficar ali, pulando, andando, correndo, virando de um lado para o outro... Seu sorriso, sempre ele, não nega. Sua felicidade transborda. A minha então... Vixe!

Seu biquinho na hora de sair é uma graça e só prova que nada nunca te fez tão bem. Porque é ali que você ganha uma das coisas que eu mais prezo na vida: liberdade.

Ser dono dos próprios movimentos, se mexer de acordo com os seus desejos, nos ver de outra perspectiva (de longe)... Isso tudo tem sido pra você uma nova etapa de existência. Etapa que, como falei aqui, foi com certeza adiantada graças aos inventores dessa roupa e desses elásticos milagrosos.

E o medek entra aí como complemento perfeito de ganho de força. Nossas duas sessões por semana com a tia Clara funcionam como ginástica muscular mesmo, para te dar e manter essa resistência que tem melhorado muito. E lá os progressos também são visíveis. Já é possível, por exemplo, te manter em pé alguns segundos, te segurando pelo quadril. Para alguém que não tinha tronco nenhum, isso é um avanço incrível! E significa que você está melhorando onde você é pior, como falei acima.

Enfim, filho, após anos e anos de buscas, estudos, tentativas... estamos conseguindo ver você melhorar progressivamente na estrutura de base. Não é ilusão agora falarmos que você está ficando durinho!

É isso. Só queria contar aqui dessa nossa boa fase e falar também que a busca vale à pena. Demore o tempo que for, eu acho que nunca devemos parar de procurar, de tentar, de arriscar. Sempre fui um pouco criticada por ser conhecida como a mãe que muda toda hora. Ouvi várias vezes que eu era impaciente, que eu deveria dar tempo ao tempo e tempo também para as coisas fazerem efeito. Que era preciso tempo para criação de vínculo, tempo para a coisa render... Tempo. Só que a minha sensação sempre foi a de que nós não tínhamos esse tempo todo.

E segui meu instinto. Nossa, quantas vezes mudei sua rotina toda, saí de terapias que havíamos acabado de entrar, briguei por resultados, impus minha opinião... Foi ruim às vezes encarar algumas situações chatas por ter que dizer que ia te tirar de alguma coisa; também lembro de conversas longas e tensas que tive com seu pai, por exemplo; e até de monólogos em que eu mesma ficava quebrando a cabeça para me convencer de que o que eu queria fazer era certo ou responsável. Travei uma batalha interna e particular em que decidi que eu e só eu era capaz e a mais indicada para decidir a sua vida nas terapias. Assumi essa responsabilidade sem tamanho e fui com a cara e a minha coragem. Errei algumas vezes, talvez tenha te feito passar por algumas coisas desnecessárias, às vezes demorei mais do que devia para tomar algumas decisões, posso ter bagunçado mais do que o necessário a sua vidinha... mas acho que no geral eu estava certa.

Por isso, Antonio Pedro, você não imagina a minha felicidade por FINALMENTE estar satisfeita com a sua rotina de exercícios. Eu juro que cheguei a pensar que isso não fosse acontecer nunca. Não por você, ou pelos exercícios, mas por achar que talvez o problema fosse comigo. Por pensar que eu fosse mesmo muito impaciente, impulsiva e louca de não parar quieta e ficar com você pra lá e pra cá.

Mas, hoje, meu amor, eu dou graças a Deus por ser maluca. Graças a minha insensatez para alguns, eu acredito que chegamos a algum lugar. Falta um montão ainda, mas esse período de satisfação está me dando uma injeção de ânimo que me dará mais força ainda para não me acomodar jamais.

beijo na ponta do nariz.

Therasuit. Passamos para só 4 elásticos e pendurados! detalhe para a Marina ao fundo, assistindo.








video

E o medekão com a tia Clara:


















ps: no próximo feriado do 1 de maio, o Ramon Cuevas, o chileno que criou o método Medek, estará aqui no Rio dando curso para terapeutas brasileiras. E há a possibilidade de crianças participarem (de graça!) para servirem de modelo. Óbvio que o Antonio estará lá. Se alguém por acaso se interessar, me fala.

2 comentários:

  1. Eu quero :):) sei não viu, isso é preconceito com o nordeste :):) :) bjs Adri, feliz por vcs.

    ResponderExcluir
  2. Mas o Therasuit e o Medek são duas técnicas muito boas mesmo pra vc, não é meu querido? Dá gosto de ver como vc se sente bem e fica feliz. E a Marinoca só te olhando... Bj perereco, vc tá cada vez mais lindo. Vovó ama muito vc e a sua irmãzinha.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós!