Atenção!

"(...) apesar de ter mergulhado de cabeça nesse misterioso mundo das lesões neurológicas e suas possíveis consequências, não sou médica. Tudo o que coloco aqui são impressões e experiências pessoais. (...) Enfim, não sou uma profissional da saúde, apenas uma mãe muito, muito, muito esforçada em início de carreira".



terça-feira, 21 de setembro de 2010

Olha eles aí...

Filho, pensei muito antes de decidir se eu postava ou não o assunto que escolhi pra falar hoje. Aliás, meu receio não era nem quanto ao assunto e sim quanto ao vídeo que está aí em baixo. Ele capta um momento em que você teve os seus tais espasmos. Na verdade, não é nada demais. Muito rápido para ser assustador. Mas é que por um momento fiquei achando que eu iria te expor. Pensei nos nossos familiares um pouco mais distantes que nunca viram seus trimiliques ao vivo... Depois, fiquei rindo de mim mesma. Expor mais eu e você do que tenho feito aqui!? Ora, Adriana...

O fato é que resolvi deixar de bobeira e mostrar sim pra quem quiser ver. É que me lembrei de como foi útil quando eu fui pesquisar por mioclonia na internet e achei vários vídeos no Youtube. Graças a eles, me convenci de que havia realmente algo errado e não sosseguei até descobrir o que era. E, pacotinho, nessa Terra de Ninguém que é a área neurológica, quanto mais cedo o 'algo errado' for descoberto, maiores são as chances de que o tratamento seja bem-sucedido.

E também é bem mais fácil falar agora, quando eles estão diminuindo cada vez mais! Sim. O remédio vem fazendo efeito e hoje, por exemplo, você quase não fez. E quando fez foi nitidamente 'reflexo' de algum susto por barulho, ou toque em áreas sensíveis, principalmente, da boca. Os mais preocupantes, aqueles que pareciam ser 'do nada', pelo menos por enquanto, meteram o rabo entre as pernas e sumiram!

Espero que a curto prazo a gente só lembre deles vendo vídeos como esse que mamãe tem reunido para fazer um histórico completo e futuro do 'caso pacotinho'.

E ah! Hoje ficamos famosos. A amiga da mamãe, a tia Bel que você ainda não conhece ao vivo, mas que nos acompanha desde o comecinho falou da gente no programa de rádio bombante onde ela solta a bella voz todos os dias na Paradiso FM, Hora do Blush. E quase que imediatamente, mamãe recebeu mensagens de apoio, força e carinho por e-mail e, de quebra, ainda ganhamos mais seguidores! Sejam bem-vindos, todos os nossos novos amigos. Será um prazer dividir nossa história com vocês. E estamos aqui para trocar experiências sempre que possível.

Por fim, resultado da nossa semana concorrendo no bebê Johnson: Marmelada, filhote. Não ganhamos. Mas chegamos perto, hein. Tivemos um saldo de 134 votos e um lá dos mais votados estava com 176. Não fizemos feio, povo. Agradecemos a mobilização.

beijo na ponta do nariz, meu amor. E um abraço apertado pra quem tá aí do outro lado da tela.

video

5 comentários:

  1. Dri, parabéns pelo sucesso do blog! Vc e o Cenoura merecem!
    Qto ao tratamento, que bom que está dando certo, vai ficar tudo bem, vc vai ver!
    Beijo da Paulette

    ResponderExcluir
  2. Minha impressão holista e paranormal -que pode não estar correta-, foi dele assustar-se com alguma visão astral. Dentre diversos outros tropeços na casuística cientificista temos um paciente epilético que depois de padecer efeitos colaterais brabos foi constatado como vítima obsessional, e asssim curado. Não raro um sintoma não tem só uma causa ou só aparenta ser de uma na verdade sendo de outra. Daí o acerto e atualização da terapia apométrica. Se não deu uma olhada, vale googar apometria, grande mãe. Bs.

    ResponderExcluir
  3. Adriana, eu sou leiga, né? Não sou médica... sou uma jornalista que virou comerciante... hahaha

    Tb só tive um filho até agora. E, convivo pouco com crianças nessa vida...

    Mas, esse "trmilique" parece aqueles que os bbs recém-nascidos ou pequenos (tipo com 1 ou 2 meses) tb tem qd estão dormindo. Parece que levaram um sustinho. Sabe?

    Isso, até onde sei, é normal. Inclusive, qd meu filho era RN um vizinho que era neurologista nos visitou e disse que isso era perfeitamente normal pq fazia parte do amadurecimento neurológico da criança. Juro que ele me disse isso, há 3 anos atrás (idade do meu moleque!).

    Faz sentido, certo? Te digo, não é nada assustador nem esquisito pra quem já conviveu com crianças em algum momento da vida. :)
    Beijos em vcs!

    Obrigada por se abrir com a gente! Sabe que na vida calma que temos precisamos encarar a realidade sempre... muito obrigada!

    ResponderExcluir
  4. Cara, primeiramente preciso falar o que todo mundo já sabe: Ele é muuuuito gostoso! Que bebê delicioso!
    Quanto ao trimilique, concordo plenamente com a Beatriz! Todo RN faz isso, não é assustador. Chama-se reflexo de Moro. A gente até provoca este reflexo nos RNs para ver se eles respondem adequadamente com esse movimento dos braços.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Então, pois é. O Mouro é normal nos bebês até uns 4 meses no máximo. Depois disso, tem que sumir. Aos dez meses, como no caso dele, já começa a se desconfiar de outras coisas. Por isso é necessária uma investigação que, no nosso caso, começou com um eletro normal e como nada apareceu, foi pedido um eletro acordado e com vídeo para comparação espasmo/traçado. E foi aí q ficou constatado q, sim, durante o espasmo o traçado do eletro foge um pouco do padrão e se altera, o que caracteriza uma convulsão, ainda que não seja muito grave. Mas, ainda assim, a medicação é necessária para inibir isso, não deixando que a coisa evolua.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós!